por Gabriel Felipe | Novembro 08, 2019

Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram

“Uma estratégia de marketing bem executada reflete diretamente nos resultados do seu negócio. E esse é o objetivo de todo empreendimento: gerar resultados e, consequentemente, lucros!”

Nessa situação, você já sabe o que precisa fazer: montar uma boa estratégia de marketing. E é nesse momento que surge a pergunta “Qual estratégia devo adotar para minha empresa alcançar tais resultados? “

Relaxa! “Muito a aprender você ainda tem. ” –Yoda

Afinal, o que é o Inbound Marketing?

Irei resumir isso para você. O Inbound Marketing foi criado em 2006 pela HubSpot e baseia-se no princípio de atrair a atenção de um potencial cliente usando técnicas de marketing e criação de conteúdo de qualidade para conquistar autoridade no mercado. Assim, o interesse pela sua marca é gerado e, como consequência, você atinge uma demanda de vendas passivas, atraindo o público certo para seu produto ou serviço de forma orgânica. E, para isso, é necessário verificar algumas características do seu negócio antes de aplicá-la. São elas: Jornada de compra, Construção de Buyer Persona(s), Produção de conteúdo e Presença digital.

 

“Mas e ai? Como vou saber se o Inbound Marketing funciona para minha empresa? ”

 

Desconfiei que faria essa pergunta, afinal, é para isso que você está aqui, não é mesmo? Mas fica calmo, irei citar algumas características dessa estratégia, para que você possa entender e avaliar se ela é uma boa opção para você e sua empresa.

1 – Clareza do seu modelo de negócio

Antes de planejar-se para dar início a sua estratégia de Inbound marketing, é necessário que você tenha clareza sobre o seu modelo de negócio. Para isso, é necessário avaliar o mercado em que você atua, quem você deseja alcançar, aonde seus potenciais clientes estão e aonde eles querem chegar. Portanto, saber quem são seus concorrentes, o nível de especificidade do seu nicho de atuação, alcançar e sanar as dores dos seus clientes, são pontos importantes para que você possa focar esforços direcionados ao público certo.

Entretanto, é importante ressaltar que o Inbound Marketing não é uma estratégia recomendada para você que precisa de um resultado imediato, pois essa estratégia requer tempo para que os seus conteúdos sejam indexados e, consequentemente, gere autoridade e um volume considerável de seguidores no seu site ou rede social.

2-Buyer Persona

Talvez você já tenha passado por uma situação de deparar-se com um conteúdo ou propaganda pela internet e com certeza achou que estava perdendo alguns segundos preciosos do seu tempo, levando você à um momento de acatar ou não tal conteúdo. Esse momento é chamado de “microinstante” e é onde o consumidor desse conteúdo toma uma decisão, podendo gerar ou não uma conversão para o seu negócio. O que vai definir isso é se esse conteúdo está aparecendo no momento certo para a pessoa certa. Portanto, é necessário definir que tipo de cliente é o ideal para o seu negócio criando a sua Buyer Persona.

A Buyer Persona, ou mais conhecida como “Persona”, é a representação do cliente ideal para a sua empresa, ou seja, são descrições das pessoas com as quais a sua empresa irá dialogar.  Para saber mais sobre o que é uma “Buyer Persona” e como descobrir mais informações sobre quem é o seu cliente ideal, confira o nosso blog sobre “Como construir personas” para que você possa sempre lembrar com quais tipos de clientes você está lidando

3 – Produção de conteúdo

         A produção de conteúdo é uma das etapas primordiais na estratégia de Inbound Marketing, pois é com ela que você irá nutrir os seus clientes para que, posteriormente, você esteja transformando-os em leads para o seu negócio.

Essa etapa deve ser bem planejada e totalmente focada nas Personas que foram criadas para o seu negócio, pois é ela que irá definir o seu bom posicionamento em máquinas de buscas do Google e, consequentemente, a taxa de conversão seja mantida e elevada.

Há várias formas de se fazer isso, uma delas é a criação de um blog para o seu negócio. Lá você poderá relacionar-se diretamente com seus visitantes e será capaz de passar as informações que você achar relevante, opiniões pessoais e de terceiros, atraindo a atenção e a fidelidade dos seus clientes e gerando a tão almejada conversão.

Algumas técnicas são bem eficientes nessa área e eu irei passá-las para que você tenha uma ”Colinha” posteriormente 😉

1 – Varie os tipos de mídias que você trabalha;

2 – Use e abuse de outros formatos de textos;

3 – Ofereça ao público conteúdos que vão além;

4 – Varie o formato de conteúdo;

5 – Tire o público da zona de conforto; 

4 – Presença Digital

Após ter definido as suas Personas e produzido os conteúdos que você acha interessante para nutrir seus leads, o que falta agora é nada mais nada menos que…? O lead!

O fato é, que o poder de consumir o conteúdo está nas mãos dos usuários.

Não importa se você está liquidando um produto, distribuindo descontos para os assinantes da sua Newsletter ou irá divulgar aquele Webinar de primeira no seu site e redes sociais. Se o público que estiver sendo atingido por esses gatilhos não forem o seu público ideal, é provável que você não está atingindo as pessoas certas. Portanto, é necessário que, após ter feito a Buyer Persona do seu negócio, você dedique esforços para atingi-las no momento certo e da maneira certa.

 “I got the power!”

E é aí que entra a parte mais legal dessa estratégia. Atualmente, ferramentas como o RD Station, Google Ads e CRM’s em geral, são primordiais para controlar e auxiliar na criação de gatilhos de conversões, seja em redes sociais, sites parceiros do Google ou até mesmo no Youtube. Com elas, você poderá atrair, converter, relacionar, nutrir e principalmente filtrar o público-alvo, fazendo com que você controle as etapas do funil em que o cliente se encontra e possa tomar um plano de ação para aperfeiçoar a própria estratégia. Um exemplo geral de como funciona o funil de vendas é a seguinte:

1 – Atrair: A criação de anúncios através do Google AdWords.

2 – Converter: Formulários, Landing Pages, pop-up, etc.

3 –  Relacionar: Materiais ricos, E-mails, WorkFlows, etc.

4 –  Analisar: Métricas, resultados e plano de melhorias.

Portanto, adotar tal estratégia é essencial para que você não atinja o público errado ou muito abrangente e com isso gere mais resultados e aumente sua autoridade no mercado. 

“Et Voilá”

Agora, é só manter o ritmo de conteúdos e gerenciamento, e deixar o trabalho de conseguir leads para as máquinas, ou melhor, para os robôs!

Atualmente, o Google possui “robôs” que nos auxilia no momento de buscas orgânicas na internet, o chamado Google Bot. Em resumo, esse sistema está presente em todos os sites e parceiros do Google e sua função principal é escanear todos os sites para que sejam ordenados e exibidos de acordo com a relevância do conteúdo na rede de pesquisa. Ou seja, quanto mais conteúdos e relevância você gerar, mais visto você será!

Um método bastante eficiente para garantir que você esteja bem ranqueado e tenha um bom posicionamento na rede de pesquisa é o Search Engine Optimization(SEO). O SEO são um conjunto de técnicas que podem ser aplicadas dentro e fora do conteúdo das suas páginas para torna-las mais visíveis aos seus possíveis clientes.

E para finalizar a sua leitura com chave de ouro, saiba como otimizar o seu site através de técnicas de SEO com o nosso alpinista Luiz clicando aqui.